O Mundo Profissional x Emprego x Profissionais

Olá galera do Blog bem vindos mais uma vez a nossa coluna de Inclusão Digital. Estava pensando no assunto da coluna anterior quando falamos sobre os processos de Alfabetização Digital e sobre alguns projetos desenvolvidos no Brasil para possibilitar ou até facilitar a implantação dessa ferramenta tão necessária. Conversando com um aluno que faz curso de “Projetos, Implantação de Redes e Cabeamento Estruturado” em uma de minhas turmas, fiquei impressionado com o que ele me disse. Este aluno esta no quarto semestre de Engenharia da Computação e estuda em uma das melhores Faculdades de Campinas, e estávamos abrindo um “mini” debate sobre o assunto mercado de trabalho na área de TI e o que nos deixou surpreso foi o fato de apesar de ele estar no quarto semestre de Engenharia da Computação, e não ter estudado nenhuma matéria da Área de TI, a não ser linguagem de programação “C”. Então ficamos pensando e discutindo o porquê dessa defasagem no conteúdo programático dos cursos de formação nestas áreas, e é claro divergimos sobre vários pontos e não chegamos a uma conclusão precisa sobre o assunto.

Resolvi esse final de semana pesquisar e ler alguns artigos sobre esse assunto, e me causou mais espanto ainda foi ver que realmente existe um apagão na mão-de-obra especializada em TI no Brasil, onde esta faltando pessoas para ocupar as vagas abertas nesta área. Acredito que este panorama tende a piorar e ficar “quase” catastrófico devido a eventos como Olimpíadas e Copa do Mundo que se aproximam a passos de “Guepardo”. Pois o que se vê é uma demasiada preocupação com a estrutura (atrasada por sinal) e deixado de lado a força de trabalho especializada necessária para movimentar eventos desse porte. Outro fato preocupante é que Segundo a FGV, até 2014 teremos um déficit de 800 mil vagas no setor. Estima-se que hoje, 92 mil vagas de tecnologia da informação estejam disponíveis. No entanto, basta sair ao mercado para ver profissionais formados desempregados ou trabalhando em áreas completamente distintas da de formação.  Pior, apenas 15% dos alunos que iniciam cursos de tecnologia da informação terminam as graduações. E pior, todo este cenário vai à contramão do crescimento brasileiro em TI. Segundo o IDC, o Brasil deverá crescer 13% na área de Tecnologia da Informação em 2011 superando taxas como Estados Unidos e Canadá.

Então voltamos a discussão que tivemos em sala de aula, EXISTE CULPADO?

Bom, a maioria, e me incluo nela, acredita que sim. Porque vivemos uma época de “Mega” lotação de Faculdades (estrutura), a cada esquina tem uma, a grande maioria totalmente despreparadas e com professores cada vez menos especializados, despejando centenas de milhares de alunos por ano no mercado de trabalho. São novos profissionais formados com conteúdos programáticos obsoletos e defasados que há anos não são mais necessários às empresas. Segundo o Site Olhar Digital na coluna do Sr. José Milagre, o Resultado: baixíssima qualificação. E o que isto gera? Altos salários para os mais qualificados, que estão voltando do exterior para assumirem cargos de TI no Brasil, vaga que poderia ser a sua.

Citamos em nosso “debate” que os cursos técnicos e certificações tendem a ser muito atrativas às empresas do que formação Universitária, e que essas ferramentas em sua maioria demanda um investimento muito alto por parte de quem quer se especializar, algo que foge ao nosso mercado de pessoas a serem incluídas, quem sabe com algum subsídio do Governo esse panorama melhore. Sabemos porem que esse problema de Qualificação é nacional e que só existe um remédio para isso: Qualificar-se!

E ficou a pergunta: O que você tem feito para se Qualificar? Diante de tal quadro, não podemos ficar de braços cruzados esperando que alguém solucione tudo para nós, é preciso fazer algo, agir, buscar. O mercado de qualificação oferece inúmeras oportunidades, temos os cursos de formação de curta duração, Tecnólogos, entre outros cursos que podemos pesquisar e saber como funciona. Uma excelente dica são os cursos á distancia os EADs, feito sob medida para quem precisa de qualificação de qualidade aliada à praticidade e tempo necessário. Digo isso porque é o mercado que mais cresce no Brasil e o mercado que oferece a melhor estrutura tanto de planejamento, quanto de conteúdo programático, já que é produzido especificamente para esse fim. E talvez seja a ferramenta que conseguira acompanhar e preparar os profissionais para os eventos internacionais que se aproximam.

Na próxima coluna, ainda nessa semana, vou abordar com mais profundidade o tema Educação à Distância e o que esse mercado pode oferecer de diferencial para aperfeiçoar esse processo de Capacitação e Qualificação Profissional. Participe, dê sua opinião, ela é fundamental para o nosso sucesso e qualidade! Grande abraço!

Siga-me no Twitter: @prof_alexcrespo

Facebook: Alexandre Costa Crespo

Anúncios