Inclusão Digital ou Inclusão Social?

Olá galera do Blog, estamos de volta para falar sobre Inclusão Digital, que afinal é um assunto que rende muitas discussões e pensamentos, como a questão que levanto no título da coluna.

Muito se fala em politicas de Inclusão Digital, muitos são os projetos e pensamentos de implementação dessas politicas, tanto pelos órgãos governamentais, quanto pelas organizações civis. Mas de fato o que se vê na verdade, é que a ideia de se levar a tecnologia digital ao alcance da sociedade é em sua maioria desenvolvida através de cursos para pessoas de baixa renda, acredito que seja pelo fato de vivermos em ambiente de enorme desigualdade social e econômica e com o intuito de promover maiores oportunidades a essas pessoas.

O que esses projetos possibilitam, portanto, na medida de suas possibilidades, é a diminuiçãodas disparidades sociais entre aqueles que têm acesso a essa tecnologia e aqueles que passam a ter acesso não só à informática, como também à Internet. Diante desse panorama podemos constatar através de pesquisas realizadas, vou citar aqui como exemplo a pesquisa Ibope/Nielsen que diz a respeito do acesso da população brasileira à Internet: entre outubro de 2009 e outubro de 2010 cerca de 22% dos brasileiros possuem acesso à Internet em suas casas e estes se concentram em áreas urbanas. Por outro lado, muitas pesquisas ainda constataram que mais de 50% da população brasileira tem acesso à internet, onde os principais pontos de acesso são as instituições de ensino (em todos os níveis), o trabalho e principalmente as “Lan House” que segunda pesquisa Ibope/Nielsen representa 31% dos acessos realizados.

O quero dizer com isso? Que o processo de Inclusão Digital se traduz na face da Inclusão
Social, da alfabetização digital, onde se supõe que esse processo é medido na capacidade de levar essa tecnologia digital a todas as pessoas em todos os lugares e situações. E se parte da ideia de que é importante para a sociedade dominar a tecnologia digital, então para que a sociedade seja incluída, é preciso que ela tenha em suas próprias mãos os rumos da tecnologia, em outras palavras, que se permita a apropriação da tecnologia por parte da sociedade.

Portanto, incluir da perspectiva tecnológica envolve dominar o discurso da tecnologia, não
apenas os comandos de determinados programas para a execução de determinados fins, não apenas qualificar melhor as pessoas para o mundo do trabalho, mas sim a capacidade de influir na decisão sobre a importância e as finalidades da tecnologia digital, o que em si é uma postura que está diretamente relacionada a uma perspectiva de  inclusão/alfabetização digital, de política pública e de construção de cidadania, não apenas de quem consome e assimila um conhecimento já estruturado e direcionado para determinados fins.

E você? O que acha? Estamos caminhando enfim para um processo sério de Inclusão ou ainda estamos longe disso? Qual o nosso papel e o que devemos fazer para contribuir para melhorar esse panorama?

Participe e de sua opinião, que é muito importante para nós construirmos o nosso mundo
melhor e cada vez mais solidário. Grande abraço a todos e até a próxima!

Me siga no Twitter: @prof_alexcrespo

Facebook: Alexandre Costa Crespo

Anúncios